Rua Drº Teófilo Braga | S. Jorge, Açores   + 351 295 412 210

"Podemos, afirmar, sem qualquer receio, que a ilha de São Jorge é a mais bonita dos Açores."

Criada por sucessivas erupções vulcânicas em linha recta, de forma alongada e estreita, 56 km de comprimento e uma largura máxima de 8 km, com uma costa escarpada que cai quase na vertical de uma altura média de 700 m, São Jorge é a ilha mais inexpugnável e a que soube proteger, como nenhuma outra, a sua natureza, conservando grandes extensões de Laurissilva, vegetação que cobre com uma beleza pura as suas abruptas costas e profundas e impenetráveis.

Fajã dos Cubres é uma das principais atrações da Ilha de São Jorge

Dos pontos altos de São Jorge, surpreende-nos a visão das fajãs, pequenas planícies isoladas que se encontram junto ao mar, espalhadas a toda a volta da ilha. As situadas na costa norte, como a Fajã do Ouvidor, a Fajã das Cubres e a quase inacessível Fajã do Santo Cristo, são rudes e austeras, contrastando com as da costa sul, mais acessíveis e que, devido ao seu clima, se converteram em autênticos pomares, onde até chegam a produzir-se chá, café, vinho e frutas tropicais. 

Fajã da Caldeira de Santo Cristo_

Seduzem a bela e fértil Fajã de São João e a Fajã dos Vimes, onde, em primitivos teares, continuam a tecer-se mantas de tipo tradicional, a Fajã Grande, onde se encontra a Calheta, vila portuária, outrora com grande actividade comercial, superada hoje em dia por Velas que, vista do miradouro da Ponta da Queimada, se estende, tranquila e próspera, para um oceano balizado pelas elegantes silhuetas do Pico e do Faial. “

Hospedaria Austrália foi o primeiro negócio hoteleiro da Vila de Velas, tendo tido o seu início no ano de 1981.

“Velas é uma freguesia urbana do concelho de Velas, ilha de São Jorge. A vila, sede do Município, está localizada num extenso terreno relativamente plano junto à costa ao lado das montanhas e longas arribas junto a uma longa enseada.

A origem do nome desta localidade nunca foi esclarecida pelos historiadores. Pode no entanto, segundo esses mesmos historiadores poder remeter-nos para as “velas” das embarcações, para vigias ou para o termo velar, para o nome de povoações com o mesmo nome no continente português, para o termo “velhas” ou mesmo para a palavra “belas”. É, no entanto, mais provável que o nome provenha dos termos “velas de embarcação”, ou dos termos velar/vigília”. (http://cmvelas.pt/)